Absolver

Absolver

por Fernando Scaff Moura

Um mundo simples de entender, mas complicado de viver

Artes marciais em uma jornada linear online, repleta de golpes, armas e portas a serem abertas com os pés. Absolver tem uma premissa simples e traz ao público um jogo que muitos gostariam de viver: um lutador enfrentando todos e ficando melhor a cada luta.

O game começa com o jogador tendo de criar seu próprio personagem. Aqui, temos o de sempre: cor de pele, cabelo, menino ou menina. Contudo, a forma como se coloca as cores de pele é algo muito interessante, já que, de fato, somente a tonalidade muda, já que todos usam mascaras. Essa questão define a origem do personagem dentro do mundo do jogo, ou seja, não se é simplesmente negro, pardo ou asiático, e sim, Uring, Karshin, Ice Marshes, entre outros.

Sei que isso parece meio bobo, mas são detalhes como esse que mostram que o jogo se preocupa com o mundo em que vivemos, alem de se aprofundar na própria narrativa subjetiva.

Artes marciais

Absolver oferece três estilos de luta: Forsaken, Khalt e Windfall. A trindade básica de tudo que é habilidade em jogos eletrônicos: dano, agilidade e defesa/resistência. Particularmente, não vi muita diferença nelas de começo, mas, entrando em combate contra jogadores mais experientes, é possível realizar golpes diversos e combos bem loucos. Então, a progressão é bem promissora e vale a pena jogar com aquele que você se sentir mais à vontade.

História

Bom… em termos gerais, ela não existe. A premissa é: fique forte, desbloqueie golpes e chute mais bundas. Explore o mundo e conquiste novas armas. Fim.

Por ser um jogo online, a ideia é lutar contra outros jogadores. Então, não existe um objetivo muito certo, a única coisa realmente séria é uma noção de “não caia para o lado negro”, enquanto “nem todos que usam máscaras são inimigos”. Essa parece ser a narrativa principal.

O tutorial de Absolver te leva a uma sala que conecta diversas trilhas. Todas são praticamente lineares, você escolhe uma e vai lutando contra inimigos no caminho. Hora ou outra, algum jogador aparecerá e pode, ou não, querer lutar contra você. Toda vitória lhe dá experiencia para aprender novos golpes e avançar em seu estilo marcial.

Absolver

Vale lembrar que o jogo tem uma arte muito agradável, como uma pintura em 3D, o que torna tudo muito bonito de se ver e explorar. Cada novo lugar possui itens que podem te ajudar a se manter vivo, mas mesmo com o incentivo a desbravar esse mundo, não existe de fato muita coisa a encontrar em termos de lugares secretos ou coisas assim.

O problema dos controles

Absolver não é muito gostoso de jogar. O título tem algumas mecânicas novas, com as quais o jogador pode não se adaptar, como a mudança da base de combate apertando Q, E, Z ou C no teclado, botões difíceis de acessar durante a ação e pouco intuitivos. Alterando isso, você muda seu golpe, e alguns deles, após serem aplicados, geram combos.

A jogabilidade e arte de Absolver são ótimas. Sem dúvida, é possível ver o título como promissor e repleto de potencial, mas ele é difícil de se jogar e explorar.

De forma semelhante a outros jogos de luta, o tempo da animação diz o timing do golpe e o jogador deve tentar fazer isso da forma mais fluida possível. Segurar Shift levanta a guarda e alguns dos estilos marciais usam o bloqueio para iniciar um combo, enquanto apertar Espaço para trás ou lados realiza o clássico pulinho de esquiva.

Somado a isso, também se move o mouse para as quatro direções a fim de fazer uma esquiva ou bloqueio especifico. Agora, essa também é uma forma de andar e se ajustar no combate, então, hora ou outra, o personagem fica pulando e gastando sua barra de energia, enquanto o game acredita que o jogador está tentando executar um especial.

Toda essa confusão de informações leva o jogador a apertar os botões do mouse freneticamente. Sim, os golpes dessa maneira e, acredite, venci alguns bons combates só fazendo isso. Mas perdi vários, e muitas vezes sem entender muito bem o por que. Sinto que a jogabilidade ficaria melhor no controle, com analógicos e comandos mais táteis.

O título me lembrou um pouco For Honor, um jogo cheio de possibilidades mas que, no computador, se torna difícil e confuso. Além de que, se dois jogadores atacarem o mesmo oponente simultaneamente, esqueça, você estará morto.

A proposta de gameplay e arte de Absolver são ótimas. Sem dúvida, é possível ver o título como promissor e repleto de potencial, mas ele é difícil de se jogar e explorar. O game tenta resolver esses problemas de muitas formas, como permitindo ao jogador entrar em meditação e praticar contra dummies, ganhando experiência para conseguir novas habilidades e itens mais fortes. Mas, mesmo assim, jogar é complicado.

Talvez um jogador dedicado consiga se aprofundar na proposta de gameplay e superar essa barreira de aprendizado e, deste modo, gostar de Absolver. Não foi meu caso  eu queria uma experiencia agradável de aprendizado e lambi o chão sempre que tentei deixar de lado essas mecânicas complicadas e somente explorar o mundo. Tentei aprender alguma sequência de golpes que me permitisse vencer os NPCs, ao menos, de maneira rápida, e não existe simplicidade.

Somado à linearidade do jogo, creio que Absolver deveria ser mais casual que hardcore, como é proposto. Caso você goste de PvP, artes marciais e mecânicas complexas, talvez este game seja para você.

O jogo foi testado no PC, em cópia cedida pela Devolver Digital.

Publicidade