LEGO Ninjago

The LEGO Ninjago Movie Video Game

por Ana Cruz

Como jogar um filme, mas com alguns defeitos

Todos sabem que a marca LEGO tem um grande peso no mercado, desde os blocos de montagem até os games baseados em franquias renomadas como Star Wars,  Vingadores, Liga da Justiça, Jurassic Park, Senhor do Anéis e outros tantos nomes. Mas um que chegou tímido foi The LEGO Ninjago The Movie Video Game, baseado no filme de mesmo nome.

O enredo é simples: você é um aprendiz de ninja que tem o poder “verde” e deve se juntar ao clã do Mestre Wu e seus alunos, Kai, Cole, Nya, Zane e Jay. Juntos, eles devem deter um vilão que quer dominar e destruir a cidade de Ninjago. As referências aos Power Rangers, devido aos super robôs, e Star Wars são inegáveis, mas claro que com o bom humor de sempre, coisa que é caraterística de todos os filmes e jogos da série LEGO.

A abertura do game é no melhor estilo ninja – música japonesa de fundo e uma bela animação, com direito a algumas cenas do próprio filme. No pequeno e prático tutorial que vem antes da pancadaria, o jogador já conhece o protagonista Lloyd, que ainda está aprendendo a ser um ninja e tem um passado obscuro, como em toda animação com temática japonesa.

The LEGO Ninjago Video Game é divertido, mas curto, podendo ser terminado em 5h ou 6h. Fazer 100% não leva muito mais tempo.

A jogabilidade é muito simples e o jogador não terá problema nenhum para executar os golpes e combos. A ação é bem frenética, com robôs, luta e destruição. Todo o game é feito de uma maneira tão bonita que você se sente assistindo ao filme, se não fosse por um detalhe: as absurdas quedas na taxa de frames.

Essas falhas são frequentes não somente nas cutscenes, mas também em boa parte do jogo. A franquia tem como marca o cenário bem complexo e caótico, mesmo sendo montado apenas com peças de LEGO, e essas quedas no frame rate, não só estragam a experiência, mas atrapalham e muito na batalha, principalmente contra inimigos mais complexos, que precisam de um ataque específico para serem derrotados.

Apesar de alguns problemas, mais culpa do game do que do jogador, a dificuldade é baixa, inclusive nos chefões, afinal de contas, se trata de um título para um público mais jovem. Toda vez que o usuário morre, acaba voltando exatamente para o mesmo lugar, não precisando nem recomeçar o combate. Todos os ninjas têm uma habilidade especial, deixando livre a escolha sobre o estilo de luta.

Infelizmente, a queda no frame rate não é o único problema, pois os loadings demoram mais do que o necessário, em qualquer mapa, objetivo ou cutscene. A cada nova missão, dá tempo de sobra pra ir buscar uma água ou um lanche. Além disso, temos a dublagem em português, que apesar das vozes serem ótimas, as mesmas do filme, inclusive, peca em algumas cenas devido à falta de sincronização entre o som da fala e a boca do personagem.

Mesmo com alguns defeitos, The LEGO Ninjago Movie Video Game tem suas qualidades e garante boas horas de jogatina. As batalhas contra os chefões são divertidas e desafiadoras, há vários tipos de inimigos, que farão você pensar um pouco, pois alguns deles não são derrotados na base do chute. As animações dos golpes especiais são tão frenéticas como em Marvel vs Capcom.

O game é tão bonito que você se sente assistindo ao filme, se não fosse por um detalhe: as absurdas quedas na taxa de frames.

A história é simples e redondinha, com início, meio e fim, além de ser digna de um game de LEGO. Isso significa personagens cativantes, a ponto de pegarmos simpatia até com o vilão, o temível Lorde Gardamon e sua arma superpoderosa – que realmente é o terror de qualquer fã de LEGO.

O mapa de Ninjago é divido por regiões, com missões específicas como salvar um amigo, encontrar outro ou chegar ate o robô. Quando cumpridas, você tem o território livre para explorar e achar itens que te ajudarão nas customizações de seu personagem. Sim, você poderá criar um ninja para ir explorando os ambientes, mas ele, infelizmente, não fará parte da campanha.

Além disso, pacotes de figurinhas e blocos dourados especiais estão espalhados pelos cenários, ajudando a conseguir as moedas de ninjabilidade usadas para desbloquear poderes especiais.

A campanha em si é curta, podendo ser concluída em cinco ou seis horas. Depois, só resta pegar sua equipe de Ninjas e ir descobrindo todos os segredos com os personagens. Cada um deles possui uma habilidade especial chamado Spin Jitzu, que poderá auxiliar em batalha. Além disso, existem puzzles que só podem ser resolvidos com poderes específicos.

As habilidades, o vilão, a ameaça e a descoberta de habilidades aparecem de forma quase infantil, mas quem liga? Mesmo sendo um jogo divertido, vale a pena esperar que o preço abaixe um pouco, pois é fácil chegar aos 100% dele, ou seja, o valor cheio pode ser um pouco caro para algo tão curto.

O game foi testado no PlayStation 4.

Publicidade