No Heroes Here

por Fernando Scaff Moura

Os heróis de verdade

No Heroes Here está na leva de jogos coop multiplayer para se jogar com amigos e fazer bagunça. A premissa do jogo é muito boa, não existem heróis, somente pessoas comuns tendo de proteger o castelo. O título é repleto de um bom humor e mecânicas simples que facilmente podemos colocá-lo lado a lado com Overcooked, TowerFall e entre outros party games para se divertir com a galera.

Um dos pontos mais importantes para ressaltar é que No Heroes Here é um game brasileiro, feito em São Paulo pelo time Mad Mimic. O título foi desenvolvido com apoio do governo estadual, pelo edital SPCINE, uma nova forma de fomento para produção de jogos. É muito bom ver que está sendo dada atenção ao cenário de criação nacional e o resultado é muito bom, com propostas legais sendo desenvolvidas e ganhando o mundo.

A campanha do título é divertida, um herói morre repentinamente próximo ao castelo e, como fantasma, decide que precisa proteger o povo, ensinando o que precisa ser feito. Comecei a jogar sozinho e já foi bem intenso, mas é visível que ele não foi pensado para ser single player. Não foi das piores experiências, com a tensão e o balanceamento mantendo a proposta interessante por um tempo.

No entanto, os próprios desenvolvedores recomendam que a bagunça precisa ser compartilhada, e foi o que fiz. Chamei mais dois amigos e sentamos para proteger o castelos dos invasores. Valeu a pena.

No Heroes Here também serve para mostrar o que o Brasil está fazendo nesse novo momento de desenvolvimento de jogos. Apoiar e incentivar essas iniciativas é algo que só tem a ajudar a cena, ainda mais quando o título é bom assim.

O jogo começa simples, fácil de entender e avançar. As fases são rápidas, mas logo ficam interessantes, e organizar o que tem de ser feito com os companheiros é bem engraçado. Várias vezes,quando tentávamos usar bombas em um canhão, o ataque ia para o outro lado, e era um corre-corre para conseguir impedir o castelo de ser feito em pedaços. Uma das grandes vantagens é o fato de termos um servidor para multiplayer online, afinal, a grande diversão é jogar com muitas pessoas, mas nem sempre temos amigos disponíveis para sentar e jogar.

No Heroes Here progride muito bem, novos itens surgem para serem feitos e inimigos com comportamentos diferentes aparecerem para tornar a vida desses cidadãos comuns ainda mais complexa. A mensagem do jogo é clara: quem são os heróis de verdade? Todos nós temos que fazer nossa parte para proteger o castelo. A partir dessa premissa, o jogo constrói suas mecânicas e, com bom humor, mostra que com cooperação e muita gritaria, é possível organizar o caos.

O título é muito simples e divertido, com pixel art agradável e que faz sentido com o gênero. Os personagens são legais e mostram bem quem são esses não-heróis, mas um verdadeiro ponto alto do jogo é a música. Ela tem uma boa levada, os efeitos sonoros são bem legais e, até agora, escrevendo esta análise, estou com o game ligado e ouvindo a musiquinha de dança medieval.

Contudo, achei o level design meio repetitivo. Caixões sempre estão em lugares pré-definidos e os inimigos têm dois tipos básicos de ataques corpo-a-corpo e à distância.  A simplicidade não me incomoda, mas esperava que, em algum momento, alguma coisa nova iria aparecer, seja uma mecânica ou um novo desafio. Claro que oponentes e mini-bosses surgiram e realmente acrescentaram uma camada ao jogo, mas mesmo assim, era mais do mesmo.

Senti falta de algum momento de virada, que não veio. Sei que é injusto criticar algo que não se está no jogo, mas essa sensação de ter o entendido já no começo, com ele seguindo similar por muito tempo pode ser um ponto que faça as pessoas pararem de jogar após um tempo. Com amigos, mal pude notar isso, pois realmente a simplicidade contra a dificuldade do jogo ficaram bem pensadas. No entanto, após parar para analisar com calma, acabei sentido que poderia haver algo novo para recompensar quem se dedicou a No Heroes Here por mais tempo.

No Heroes Here é o primeiro título de grande relevância do estúdio Mad Mimic, o que só nos deixa mais animados para saber o que pode vir pela frente, tanto como melhorias para este como para qualquer novo jogo que venha no futuro. Se você gosta de party games em coop, esse é para você.

O jogo foi testado no PC em cópia cedida pela Mad Mimic.

Publicidade