Outbreak

por Fernando Scaff Moura

Zumbis sem gostinho de quero mais

Outbreak é, na melhor definição, um jogo indie. Não daquele tipo gourmetizado que vemos hoje em dia, mas o resultado de uma pessoa em busca de fazer seu game, lançar na Steam e, quem sabe, começar a vida como desenvolvedor de jogos. Aqui, você é um personagem genérico que deve salvar pessoas genéricas de um apocalipse zumbi. Não há muito mais a falar sobre o assunto.

O desafio repetitivo consiste em explorar corredores e pequenas salas em busca de itens. Quando chegar em áreas amplas, ondas de zumbis virão de diversas direções e cabe você e sua pontaria salvar o dia. Como problema adicional, existem reféns que podem te ajudar, ou não, tornando tudo mais complicado.

Outbreak como um motivador para quem desenvolve jogos independentes, mostrando que é possível chegar ao Steam com um game e motivação.

Admito que demorei para passar do longo tutorial, achei o game lento e sem muita motivação. Não entendi bem a história e, acho, que ela não existe. Mesmo assim, é possível ver um esforço e dedicação sobre o jogo. Tentando analisar de uma maneira mais positiva, percebi que ele foi criado por um programador talentoso.

Antes de começar, você deve fazer um setup de como você deseja jogar, entre diversos tipos de controles possíveis entre gamepad e teclado, além de definir como funcionará a câmera. O jogador também escolhe um tipo de campanha que deseja: sobrevivência, história, por tempo, além de um cenário onde tudo acontecerá.

Esses setups, por mais que devam agradar um nicho apaixonado por poderem deixar o título no seu gosto, me incomodou, afinal, cabe ao desenvolvedor me dizer qual a melhor experiência que ele planejou. Talvez, posso não ter gostado por uma combinação de controles e câmera ruim. E não, eu não vou entrar no fractal número de combinações para descobrir o melhor jeito de jogar.

Uma das coisas interessantes é a quantidade de armas. Contudo, a maioria são de tiro reto, ou seja, o jeito de jogar não muda muito, mas, mesmo assim é algo interessante. Também temos a mistura de itens para criar poções diferentes, algo legal e que dá vontade de testar para saber até onde se desenvolveu essas possibilidades de combinações.

Vale a pena jogar Outbreak como um motivador para quem desenvolve jogos independentes, mostrando que é possível chegar ao Steam com um game e motivação. Espero que a Drop Dead Studio continue fazendo jogos e evolua.

O jogo foi testado em cópia cedida pela Dead Drop Studios.

Publicidade

  • Ulisses Lopes da Silva

    É tão lento como mostrado no Trailer?

    • Fernando Scaff Moura

      Lento e com corredores enormes…

      • Ulisses Lopes da Silva

        Assim não dá…

        • Fernando Scaff Moura

          Não mesmo… Juro q tentei jogar o máximo q pude, mas o tédio e a falta de propósito me impediram de ir longe de mais. E olha que eu joguei quase 2h…