Scribblenauts Showdown

Scribblenauts Showdown

por Jessica Pinheiro

Divertido, mas falta alguma coisa

Quando se fala em jogos competitivos de video game, logo se pensa em e-Sports, Overwatch, League of Legends, Call of Duty, Counter-Strike, dentre outros do gênero. Todavia, não é só de competição online que os games desse estilo vivem. Afinal, podemos também incluir nessa roda Just Dance, Mario Party, Super Smash Bros. e incontáveis títulos de lutinha. Saindo do aspecto eletrônico, existem ainda UNO, baralho, Jenga e uma infinidade mais. Foi visando juntar todos os sentimentos que essas brincadeiras trazem que a série Scribblenauts surgiu há alguns anos, enaltecendo não apenas a competição entre os jogadores, mas em especial a criatividade e a diversão.

Com Scribblenauts Showdown não poderia ser diferente. O novo título da série é um compilado de minigames distribuídos em três modos de jogos que irão aflorar a criatividade e a imaginação com seu sistema único de criação de itens já conhecido da franquia, além de despertar o espírito competitivo no interior de todos os jogadores. Ao mesmo tempo, traz de volta aquela sensação de jogar ao lado de alguém, se destacando em meio a um mar de outros títulos voltados à competição online.

O game é perfeito para as reuniões com a família e amigos, já que é fácil de manejar por conta da jogabilidade simples e prática. Os gráficos cartunescos, dentro dos padrões da série, chamam bastante a atenção da garotada.

Customizar e colecionar

O novo título da franquia Scribblenauts exalta muito a personalização dos mascotes – você já deve tê-los visto na capa desta matéria. Ao começar o game, portanto, o jogador escolhe a pele, o cabelo, a roupa e muitos outros detalhes que irão customizar o personagem com o qual se irá jogar. “Mas Jejé, só se pode jogar com um destes durante todo o game?” Bem, mais ou menos. Afinal, outro ponto em que o game se destaca é nos colecionáveis, mas chegaremos nesse aspecto logo menos.

O game é perfeito para as reuniões com a família e amigos, não focando na experiência inventiva em si, mas sim, na competição. Por isso, acaba apresentando certo desgaste.

É possível personalizar apenas um Scribblenauta para o primeiro jogador (a conta que estiver ativa no momento em que o game estiver sendo jogado). O segundo player, por sua vez, deve entrar em seu próprio perfil e criar um novo mascote para si, caso queira. Esta limitação é um dos pontos fracos do título, por ser pouco prática.

Todavia, também existem Scribblenautas temáticos, os quais o jogador pode coletar conforme joga. Esses personagens já prontos são referências a várias obras fictícias, tais como Thor, a bruxa do Oeste de “O Mágico de Oz”, dentre muitos outros que podem ser desbloqueados conforme se avança no game ou através da loja de itens.

Por sinal, Scribblenauts Showdown detém de uma enorme quantidade de colecionáveis, o que pode empolgar quem é fã do conceito. Para conseguir tudo, é preciso jogar bastante e juntar Starites (a moeda do game) para comprar os itens ou personagens ou apenas dar a sorte de ganhar o objeto após alguma partida.

Acabou a amizade

Showdown possui três modos de jogo: Versus, Embate e Caixa de Areia. O primeiro oferece a até dois jogadores a possibilidade de disputarem entre si em um total de 27 minigames rápidos. A partir daqui, as mecânicas mudam bastante, uma vez que cada um possui um objetivo próprio, que demanda diferentes interações com o joystick (incluindo mexer o controle para cima e para baixo ou ainda para os lados, dentre outras ações).

O modo Versus também oferece dois tipos de minigames: Palavras ou Velocidade. Este último, como o nome sugere, colocará os jogadores – ou o jogador e a CPU – em partidas que exigem agilidade, enquanto que no primeiro, o jogador principal precisará digitar ou escolher uma palavra adequada, a qual será usada na partida de alguma forma, podendo ajudar ou atrapalhar os participantes.

Já o modo Embate funciona de forma semelhante ao Versus, porém, permitindo que até quatro jogadores locais disputem pelo título de melhor em uma espécie de tabuleiro em três modalidades: rápido (15 minutos em média), médio (30 minutos, mais ou menos) e longo (45 minutos no máximo). Para se movimentar, os personagens recebem cartas e os jogadores precisam utilizar as melhores do deck a seu favor.

Por fim, a Caixa de Areia é uma espécie de modo campanha, possuindo oito níveis onde o jogador precisará cumprir uma lista de objetivos, oferecendo um gameplay mais livre e a possibilidade de usar os objetos adquiridos nos minigames ou nas lojas.

Hmn, falta alguma coisa…

Por ter sido sempre conhecida por sua inovação dentro do gênero de puzzles e pela aventura por trazer as mecânicas de palavras e criação, Scribblenauts rapidamente se tornou uma série de referência, ainda mais no segmento educativo de videogames. Contudo, Showdown não é focado na experiência inventiva em si, mas sim, na competição.

Por ser um compilado de minigames sem grandes novidades, o título apresenta um certo desgaste a partir de um certo tempo, tornando-o um game que pode ser facilmente esquecido em meio à uma pilha de outros jogos eletrônicos. Os modos também se repetem bastante depois que o jogador tiver experimentado tudo, embalados por uma trilha sonora esquecível. Além disso, o jogo não traz desafios excepcionais, apesar de sua vasta de colecionáveis. A sensação final, então, é de que algo ficou faltando nesse conjunto.

O jogo foi testado no PlayStation 4, em cópia cedida pela Warner Bros. Games.

Publicidade