Muitos produtores brasileiros puderam aproveitar a Área Indie da Brasil Game Show 2017 para divulgar seus jogos. Um dos maiores estandes, que chamou a atenção de muitas pessoas, foi Skydome. Desenvolvido pela Kinship, uma desenvolvedora nacional que atualmente conta com 18 funcionários, o título vem com a ambição de dominar o mercado de jogos tower defense de ação.

A ideia de Skydome surgiu em 2016, com o objetivo de não só entreter os jogadores, mas criar grandes competições. Como contou ao NGP Matheus Zanetti, o coordenador de marketing da Kinship, o desenvolvimento do game começou com apenas seis pessoas, todos com experiência de alguns anos no desenvolvimento de jogos. Eles gostavam de MOBAs e RPGs, e foi jogando uma partida do mod Hero Line Wars, de Warcraft 3,  que surgiu a ideia de pegar o conceito de “action tower defense” e evolui-lo da melhor maneira possível.

Skydome

Zanetti lembra que, na primeira vez em que levaram Skydome para a BGS, ainda em 2016 e apenas quatro meses depois da criação do protótipo, a resposta do público foi melhor do que eles esperavam. Isso só fez com que a equipe tivesse a certeza de que o investimento em algo que amam estava valendo a pena. Em 2017, um dos principais objetivos foi obter um feedback e mostrar que o game da Kinship tem identidade própria e não é uma cópia de League Of Legends ou DotA. Para isso, eles não só apresentaram o game, mas também fizeram um campeonato entre os participantes da feira, com direito a troféu e tudo.

A batalha acontece em uma cúpula voadora entre dois times, cada um tentando defender seu artefato. O jogador poderá escolher um personagem e seus “minions”, que poderão atacar o inimigo ou ajudar a deter o avanço dele, protegendo seu território. Cada protagonista tem uma habilidade especial, com alguns defensivos e outros ofensivos.

Skydome

A partida se encerra quando o artefato de um dos times é destruído. Tivemos a oportunidade de jogá-lo na feira, com um personagem do estilo defensivo. Enquanto mandava as criaturas atacarem o totem inimigo, eu ficava criando poças com uma gosma verde, pois quando um personagem passava por ela, perdia HP, enquanto os jogadores mais ofensivos desciam a porrada nos inimigos já enfraquecidos.

A jogabilidade foi um pouco complicada no início, pois não se resumia só à movimentação e comandos através do mouse, mas também haviam botões no teclado que poderiam mandar um novo comando para os minions, liberar uma habilidade especial, voltar para a cúpula principal, mudar a categoria dos ajudantes, ir para outro ponto de ataque e tudo mais. Como as batalhas tendem a demorar, você consegue pegar o jeito com o tempo. Aí é só bolar sua melhor estratégia e ajudar sua equipe para alcançarem a vitória.

De acordo com Zanetti, esse modo multiplayer e estratégico de Skydome serve para para ampliar para as competições nacionais e formar pro-players, inclusive. Isso, inclusive, faz com que o trabalho tenha de ser realizado com muito cuidado, para que tudo saia o mais perfeito possível.

Qualquer interessado pode entrar no site de Skydome e se inscrever para ter acesso à Beta do jogo, que deve sair no começo 2018. Em seu lançamento para PC, que ainda não tem data marcada, o título estará totalmente em português, incluindo dublagens, além do inglês.

CORREÇÃO 13/12, 10h16: Ao contrário do que esta reportagem afirmava originalmente, a Kinship foi fundada por desenvolvedores com alguns anos de experiência no mercado. Além disso, Skydome foi inspirado por um mod do game Warcraft 3, e não de um jogo baseado no anime Naruto.

Encontrou um erro?

Envie um email para contato@newgameplus.com.br com a URL do post e o erro encontrado. Obrigado! ;-)