Thronebreaker

Thronebreaker: The Witcher Tales

por Fernando Scaff Moura

Uma aventura fenomenal em um jogo de cartas

Gwent e The Witcher são jogos incríveis, o mundo de bruxos e dragões é impressionante e repleto de tramas e histórias. São elas, sem dúvida, que tornaram a franquia tão incrível, com uma narrativa tão poderosa que conseguiu dar força para criação de um jogo de cartas competitivo, diferente de muita coisa que existe no mercado e um dos primeiros que vejo usar todo o recurso tecnológico em algo assim.

Ou seja, é um game pensado como um jogo eletrônico e não de cartas, e isso é feito maravilhosamente bem. Agora, Thronebreaker: The Witcher Tales adiciona uma aventura solo de RPG ao mundo de Gwent. No título, você controla Meve, uma rainha distante de seu trono que deseja muito um banho quente e dormir na própria cama.

Lembro de quando joguei Final Fantasy VII ou Pokémon Card Game, ambos jogos que davam um grande sentido para uma aventura com um jogo de cartas. São títulos raros, difíceis de se encontrar e, digo sem medo, Thronebreaker é o melhor do gênero até agora.

A história, a narrativa e os personagens são maravilhosos. O título possui escolhas que podem afetar o futuro da história, missões e situações que podem acontecer com você ou não, dependendo de como e onde você explora, de forma muito parecida com The Witcher. Muitas vezes, só por estar andando completamente distraído, pode acabar encontrando uma trama longa e profunda, totalmente paralela à missão principal, mas tão interessante quanto.

Só o tutorial do jogo já é legal, bem balanceado e explica muita coisa de maneira instigante. Porém, é quando o jogo começa que tudo muda. A dificuldade aumenta consideravelmente e a linearidade muda para você ter que escolher o caminho a seguir. Tudo vira sua responsabilidade.

Thronebreaker pode servir como um jogo introdutório ao mundo de The Witcher ou Gwent, sendo interessante até mesmo para quem não tem intimidade com as séries ou não curte cardgames.

Thronebreaker possui diversas situações que valem a pena serem mencionadas. Além de explorar o mapa com sua personagem, encontrando desafios e combates, é possível também organizar e evoluir seu acampamento, o lugar onde você pode conversar com seus aliados, criar cartas e montar seu baralho, além de melhorar construções que podem te ajudar na exploração e evolução.

A exploração também conta com mapas, feitos de maneira rustica mas que te possibilitam encontrar tesouros escondidos. Uma mecânica interessante que incentiva a conversar com os NPCs, entender melhor a história e explorar o cenário.

Mas, claro, o que mais interessa é o combate de cartas. Thronebreaker possui dentro dele uma versão de Gwent levemente modificada, pois nem sempre você usa seu baralho, mas sim, um pré-montado para se encaixar na situação específica. Também existem duelos de deck contra deck, mas são os desafios que dão mais graça a esse sistema.

Por exemplo, durante o jogo, a história levou Meve para um desmoronamento de pedras, que irão avançar pelas fileiras de cartas até atingirem a rainha. Você precisa, com suas habilidades destrui-las antes disso. Genial.

Fundir a narrativa com as mecânicas de um jogo de cartas é algum muito diferente. Ficou tão bem feito que vale muito a pena explorar esses desafios, e eles são recorrentes! Hora ou outra, o game te traz um deles, mas claro, você sempre pode evitar tudo isso, e seguir a jornada principal, fazendo somente os combates essenciais. Na medida que se explora, o mapa vai indicando as situações na região e você pode escolher o que irá fazer e quando. Bom para todos os tipos de jogadores.

Thronebreaker: The Witcher Tales tem uma narrativa muito boa e é um grande RPG, mesmo para que não gosta de jogos de cartas. Aqueles que curtem, então, verão um passo a mais aqui com a adição de uma história, e se você é um fã da franquia, a experiência, com certeza vai te surpreender. E ainda tem o extra de poder encontrar cartas, aqui, que podem ser usadas em Gwent, mais um motivo para deixar as partidas competitivas um pouco de lado para explorar esse mundo fantástico de bruxos, dragões e cartinhas legais.

O game foi testado no PC, em cópia cedida pela CD Projekt Red.

Publicidade